conecte-se conosco
Cursos 24 Horas - Cursos 100% Online com Certificado
-

Política

‘O governo precisa tomar medidas drásticas para socorrer os mais humildes’, afirma Wilker

Publicado

em

Com a renovação do decreto do governo do Amazonas que ordena o isolamento social e mantém o fechamento do comércio para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19) no Estado, o deputado estadual Wilker Barreto cobrou, nesta terça-feira (&), que o Executivo crie, de forma urgente, um plano de medidas econômicas para ajudar a população de baixa renda durante o confinamento.

O parlamentar criticou a lentidão nas ações do Estado para socorrer a economia durante o surto da Covid-19 e pediu celeridade para ajudar os mais necessitados durante a pandemia, que já contaminou 532 pessoas e matou 23 pacientes no Amazonas.

Na ocasião, o parlamentar sugeriu que R$ 50 milhões da cultura possam ser realocados para uma medida social, beneficiando aqueles que estão em situações vulneráveis e que fazem parte do mapa da pobreza no Amazonas. A ideia do líder da minoria é criar um auxílio de R$ 300, o que chegaria a cooperar com quase 200 mil famílias que necessitam da certeza de uma cesta básica para poder continuar em isolamento.
“O governo precisa ter mais atitude e ser mais célere na liberação de recursos para os mais carentes. Eu não sei o que está faltando para pegar R$ 50 milhões dos R$ 150 milhões destinados à cultura para socorrer os mais necessitados durante o isolamento, porque R$ 300 ajudaria cerca de 160 mil famílias. Governador, confinamento só tem êxito se tomar medidas drásticas para salvar a economia”, explicou o deputado.
Barreto pediu, ainda, que o Executivo trace outras estratégias para o combate e enfrentamento da doença, em especial para a colapsada saúde pública do Estado. Isso porque, o parlamentar alertou que a estrutura que será montada no Hospital Nilton Lins não contará com respiradores, essenciais no tratamento do Covid-19. A promessa do governo são 400 leitos clínicos, ou seja, não há previsão de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

“Ficou claro que a estratégia do governo para saúde já caiu, infelizmente já é sabedor que vamos ter muitas vítimas. Faltam leitos de UTI, respiradores, profissionais de frente sem Equipamento de Proteção Individual (EPI), ou seja, a saúde já colapsou. Agora, é preciso que o Executivo migre para outros planos para tentar conter o avanço do coronavírus no Estado”, concluiu Wilker.

Informação com veracidade é a marca registrada do nosso site 📰

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais notícias